E se amanhã as redes sociais não existirem mais?

A queda histórica do Whatsapp, Instagram e Facebook pegou a todos de surpresa essa semana e nos fez pensar o quanto somos reféns dos canais sociais em todos os âmbitos da vida. No universo business o impacto da instabilidade também foi grande e trouxe uma importante reflexão: até onde a marca deve ser refém das redes sociais? 

Nos projetos de Digital que desenvolvemos para nossos clientes, recomendamos um posicionamento estratégico nas redes sociais dependendo da necessidade e dor de cada um. Mas nunca recomendamos que as redes sociais sejam os únicos meios de comunicação com seus clientes. E o motivo para isso é simples: nada do que você constrói lá é realmente seu. 

Sua marca pode ter milhões de seguidores, visualizações etc, mas se um ataque cibernético, ou qualquer tipo de falha (seja ela acidental ou proposital), ocorrer e provocar a perda de dados, apagando os rastros (ou seja, a possibilidade de acesso ao backup) todo o conteúdo e histórico que foi construído será perdido. 

A essa altura você deve estar pensando: lutei tanto internamente para defender a importância de investir na presença digital da marca e agora não devo mais seguir?

Não é esse o raciocínio. Ter presença nos canais digitais é sim um passo importante para a construção da marca, reputação e atração de leads e geração de negócios, mas a estratégia de comunicação não deve estar 100% focada nisso. 

Inbound Marketing com gestão de leads

Nossa especialista em Inbound Marketing, Sarah Moraes, reforça que todo o conteúdo produzido nas redes sociais é de propriedade das próprias redes e não das empresas. “As marcas precisam ter uma ferramenta para armazenar e fazer a gestão dos leads. Sem isso, dependem exclusivamente desses canais”, explica.

Aqui na agência, nossos projetos de Inbound Marketing são focados na gestão de leads e priorizam que o público chegue até o site/blog das marcas, os quais são, realmente, o único ativo que as empresas têm para controlar o ambiente online. 

“Defendo para os nossos clientes que as redes sociais devem ser enxergadas como meio para que os potenciais leads cheguem até o seu site. Por isso, sempre recomendamos que o site é a ferramenta que mais precisa ser investida. Os executivos precisam ter visão de que ali é o único ambiente 100% controlado por eles”, acrescenta. 

E na sua empresa, como é feita a estratégia de presença digital e atração de leads? Caso queira saber mais, estamos à disposição para entender sua necessidade e traçar uma estratégia de geração de leads aderente ao seu negócio.

1 comentário em “E se amanhã as redes sociais não existirem mais?”

  1. Pingback: Nove dicas para saber se as estratégias de marketing estão valendo a pena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *